Desde o início dessa semana, o SAAE (Serviço Autônomo de Água e Esgotos) está usando um novo produto químico no processo de tratamento da água. O cloro gás, utilizado diariamente como agente oxidante e desinfetante, foi substituído pelo dióxido de cloro.

O cloro gás é um produto químico que, apesar de ser armazenado e transportado em sua forma liquefeita, pode voltar ao seu estado gasoso rapidamente em casos de vazamento, formando uma nuvem tóxica que se espalha com facilidade e causando problemas à saúde. “Desde o início da nossa gestão essa sempre foi uma grande preocupação minha, tendo em vista que o cloro gás era utilizado na Estação de Tratamento de Água, que se encontra localizada no Parque Juca Mulato, uma região densamente povoada. Com a utilização do produto químico dióxido de cloro a periculosidade foi reduzida a zero”, explicou o presidente da autarquia Carlos Vitório Boretti de Ornellas.

O dióxido de cloro apresenta elevado potencial oxidante e desinfetante, além de não formar trihalometanos e ácidos haloacéticos, compostos que causam danos à saúde. Pode ainda ser utilizado na oxidação de ferro e manganês encontrados na água e é bastante efetivo no controle de compostos fenólicos causadores de gosto e odor da água. Será gerado no próprio SAAE através da mistura de ácido clorídrico com o clorito de sódio.

A troca dos produtos também atende uma recomendação da CETESB (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) que durante vistoria realizada em maio deste ano na ETA (Estação de Tratamento de Água) sugeriu que fosse substituído o cloro gás por hipoclorito de sódio ou dióxido de cloro ou a geração “in situ” de cloro, sendo que em qualquer deles há redução no risco gerado pela ETA ao seu entorno. Desde então, o SAAE realizou testes com todos os produtos químicos indicados e chegou à conclusão que o dióxido de cloro foi o que atendeu de forma mais eficaz e satisfatória a todas as suas necessidades.

A empresa Sabará Químicos e Ingredientes S. A., da cidade de Santa Bárbara D´Oeste, foi a vencedora da licitação e é a responsável pelos serviços especializados para a geração de dióxido de cloro, compreendendo através de sistema de produção in loco, o fornecimento em comodato de gerador de dióxido de cloro, de todos os equipamentos, acessórios e insumos (produtos químicos utilizados) necessários, instalação do sistema, start-up, manutenções preventivas e corretivas, treinamento de pessoal e acompanhamento. O contrato com a empresa tem a validade de um ano e o valor investido pela autarquia é de R$ 2.314.000,00.

As cidades de Americana, Sumaré, Atibaia e Limeira, entre outras, já recorrem ao dióxido de cloro para o tratamento da água.

Fases do tratamento da água

– Pré-cloração: Primeiro, o Dióxido de Cloro é adicionado assim que a água bruta chega à estação, para oxidação da matéria orgânica e metais.

– Coagulação: Nesta fase é adicionado o PAC (Policloreto de Alumínio), seguido de uma agitação rápida. Assim, as partículas de sujeira ficam eletricamente desestabilizadas e mais fáceis de agregar.

– Floculação: Após a coagulação, há uma mistura lenta da água, que serve para provocar a formação de flocos com as partículas.

– Decantação: Neste processo, a água passa por grandes tanques para separar os flocos de sujeira formados na etapa anterior.

– Filtração: Logo depois, a água atravessa tanques formados  por pedras, areia e antracito. Eles são responsáveis por reter a sujeira que restou da fase de decantação.

– Pós-alcalinização: Em seguida, a correção final do ph* da água, para evitar a corrosão ou incrustação das tubulações.

*Fator ph: O índice ph refere-se à água ser um ácido, uma base, ou nenhum deles (neutra). Um ph de 7 é neutra, um ph abaixo de 7 é ácido e um ph acima de 7 é básico ou alcalino. Para o consumo humano recomenda-se um ph entre 6 e 9,5.

– Desinfecção: É feita uma última adição de Hipoclorito de Sódio na água filtrada antes de sua saída da Estação de Tratamento. Ela garante que a água fornecida chegue isenta de bactérias e vírus até a casa do consumidor.

– Fluoretação: O Flúor também é adicionado à água. A substância ajuda a prevenir cáries.